quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Viver mais, viver melhor

Segundo esse monumento do jornalismo científico que já rivaliza com o "New England Journal of Medicine", o jornal "Metro", quem acaba a universidade vive em média mais oito anos. O bonito desta notícia prende-se com o facto de não ser preciso ter um curso universitário, ou sequer ter frequentado uma universidade, para se compreender o quão óbvia esta notícia é. Ora se o álcool preserva parece-nos evidente que qualquer bom universitário viva mais anos que um cidadão comum. E vendo como as coisas são, não me admirava nada se o pessoal de Geografia e de Farmácia vivesse até aos 300!

6 comentários:

Anaoj disse...

Vou ser honesta. A primeira vez que li "quem acaba a universidade vive em média mais oito anos.", pensei que quem acaba a universidade só vive mais oito anos depois do fim do curso.

Por momentos assustei-me, pensando que o Processo de Bolonha tinha encurtado a vida a muita gente.

Carapaus com Chantilly disse...

Se calhar era mesmo isso que eles queriam dizer! Oh god my time is almost up...

Carapaus com Chantilly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rildeias disse...

Mas que optima noticia para quem esteja em fase terminal, basta apenas ir para a universidade e "voilá" mais oito aninhos de vida

Arya disse...

não sei se isso será verdade no meu caso... ando há que tempos para ir buscar o certificado final à fac, porque sei que quando vir a média vou ter uma síncope cardíaca...
...de antever o desemprego eterno!
=X

W. disse...

Parece que a interpretação é óbvia então! ehehehe

Ass: alguém com 7 matrículas e muitos barris de cerveja na pança.