quinta-feira, dezembro 23, 2010

PELO NOÉME!!!!

A pedido de muitas famílias... bem na verdade só de uma pessoa, mas é meritório. Eu sei, porque estive lá:

Assinem, sff:
http://peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=NOEME

PELO NOEME!!! FREEEEEDOMMMM!!!!

Braveheart, much?

E, sempre que puderem, visitem:
http://www.cronicas-do-noeme.blogspot.com/

Ciao!

ML

terça-feira, dezembro 14, 2010

Paradoxo em termos de resposta

Quem acha que todas as pessoas quem têm um blog e dizem que escrevem só por escrever são full of shit deviam pôr os olhos aqui. É claro que se o fizerem estarão a dar-se razão porque nós passaremos a ter efectivamente alguém a ler-nos. Aah... O mundo é complicado. E a blogosfera não é diferente.
CP

sexta-feira, dezembro 10, 2010

Hoje no Público (II)

"Governo propõe a criação de um fundo para financiar os custos dos despedimentos"

- Olhem lá, e que tal criarem um fundo para financiar a criação de empregos?

CP

quinta-feira, dezembro 09, 2010

Hoje no Público (I)

Hoje no Público: "Professor condenado a indemnizar em 75 mil euros aluna que sofreu lesões graves em salto mortal".

Acho absurdo que um professor possa ser condenado por lesões graves. O nome do saldo é ou não é "mortal"? Então se o salto é de facto "mortal", todos os professores deveriam ser multados sim mas caso os alunos não atinjam o objectivo do dito salto, a morte. Este é um salto histórico, oriundo das tribos do Malawi, que tinha na antiguidade o objectivo de provar a virilidade dos pretendentes ao trono através da prática do suicídio e daí o "salto mortal".
CP

sexta-feira, novembro 19, 2010

Medo

É oficial, depois de 32 horas dentro de 4 aviões diferentes, muita turbulência, ventos estranhos, descolagens e aterragens, posso afirmar que só temi realmente pela vida na viagem de taxi desde o aeroporto de Lisboa até casa.

CP

terça-feira, novembro 02, 2010

Manual de engate para nerds (I)


Agora que sou velho, eis chegado finalmente o momento em que, aconchegando a manta nas minhas pernas trémulas, vos transmitirei a minha vasta sabedoria de vida.
Como devem saber, nunca fui muito popular entre as hostes femininas e isto deve-se a alguns erros crassos que fui cometendo durante a minha vida. Tendo em conta que muitas vezes é através dos erros que se aprende e como errei tanto e das mais variadas formas, penso poder agora dizer-vos pelo menos o que definitivamente não devem fazer.

Parte I: O primeiro encontro.

1. 
Quando se encontrarem com ela, nunca mas nunca olhem para ela e lhe digam: “Nah! Eu não uso perfume! Acho que não preciso. Não achas?”; acreditem que o resultado não será nada agradável. Recomendo-vos que, pelo sim pelo não, nunca confiem apenas nos vossos narizes, tomem banho e coloquem um perfume que não seja muito forte. Para todos aqueles que não fazem ideia do que eu estou a falar e para quem a noção de "banho" e/ou "perfume não muito forte" não fazem qualquer espécie de sentido, é favor pedirem um esclarecimento adicional a alguém que não viva convosco e com quem tenham alguma confiança.

2. 
Supondo que o impacto visual é ultrapassado e que ela, depois de vos ver, ainda quer estar convosco (o que já é meio caminho andado), nunca tomem a iniciativa de escolher o local onde passar o tempo. Se bem vos conheço vai sair asneira e acreditem ou não, raras são as raparigas cujo ideal de diversão é uma tarde a jogar Ps3 na casa de um gajo chamado Zé Gordo ou Kitó. O Zé Gordo e o Kitó são os vossos melhores amigos, tudo bem, mas o mundo e especialmente a vossa companhia não precisa de os conhecer logo no primeiro encontro ok? Em vez de asneirarem, proponham algo que nunca vos passará pela cabeça fazer quando estão com a vossa companhia habitual: a vossa mão. Proponham então algo como um passeio pela zona comercial da cidade (ar livre pessoal! Ar livre! – Mas nunca se estiver a chover!) ou uma ida a um dos jardins existentes na zona. Outra proposta também exequível e igualmente aceitável é uma simples ida a um café. De forma a evitar mal-entendidos permitam-me que deixe bem claro que um ciber-café não é um café. Uma Lan-House muito menos. Distanciem-se o mais possível desses sítios!

3. 
Vamos imaginar que estão já instalados com a menina num qualquer dos locais acima propostos. O que é preciso agora? Conversa. Pois é pessoal, só passados muitos anos é que reparei que o sexo feminino não aprecia um tipo não fale. Se ficarem simplesmente calados e a olhar fixamente para ela, rapidamente passarão de "tipo estranho mas enfim" a "tipo estranho que me parece cada vez mais um violador psycho e pedófilo". Portanto falem! Isto é, falem mas com cuidado. Isto porque, na verdade, o sexo feminino não está interessado em grandes conversas e muito menos nas nossas/vossas conversas. O truque aqui é falar mas omitir tudo aquilo que verdadeiramente vos interessa. Atenção: omitir não é o mesmo que mentir! Terão que conter o entusiasmo e não falar da vossa grande noite de Counter Strike ou como já dominaram o Behamuth, salvando Azeroth no Warcraft. Outro grande e habitual erro é falar de “gajas”. Por “gajas” refiro-me às criaturas que vos são evidentemente inacessíveis tipo Angelina Jolie ou Nicole Kidman, ou as raparigas que habitualmente andam com os tipos que gozam convosco. O que se passa é que, e vá-se lá saber porquê, as raparigas tendem a sentir-se mal quando dizemos que outra criatura da mesma espécie é muito gira/boa/espectacular/sedutora/sensual. Já agora, lembrem-se que o contrário é mais do que permitido! Se elas começarem numa enorme diatribe acerca das orelhas do Brad Pitt, vocês acenam com a cabeça sem nunca dizer que sim mas também sem nunca dizer que não. Façam o que fizerem nunca teçam comentários depois delas e, por norma, concordem. Quando resolverem não concordar é bom que tenham argumento melhor do que: “Pois mas numa luta a sério, o …………. (inserir super herói) partia-o todo!”.

3.1.
Como conversar então? Basta que se deixem levar mas por amor de tudo o que é mais sagrado, contenham o fluxo de baba e o descair dos olhos para o decote. Uma frase que marcou indelevelmente a minha juventude e que não vos recomendo é: “Não. É mesmo a sério. O verde que tens nos dentes já ai está há um bocado considerável de tempo!” – Isto enquanto apontam o dedo para o pedaço de espinafre (ou caldo verde) que vai baloiçando nos dentes dela.

3.2.
Caso consigam arranjar assunto, cuidado com as mãos! Este é um enorme problema para alguns. Devido aos muitos anos de não interacção com humanos cara-a-cara, os membros superiores tornaram-se como seres separados do resto do corpo, movendo-se frequentemente e sem direcção definida. Estes espasmos ocorrem devido ao frequente uso dos comandos de consolas. Caso não os consigam controlar, um bom truque é ir discretamente (já falaremos no conceito de “discreto”) à casa de banho e marrar (literalmente) contra qualquer a parede. A lancinante dor de cabeça irá paralisar os vossos nervos durante um espaço de tempo que, se tudo correr pelo melhor, será o suficiente para não fazerem uma total figura de otário.
(Continua)

quinta-feira, outubro 14, 2010

MASCOMOÉQUEÉPOSSÍVELESTÁTUDOLOUCOTUDOMALUCOOMUNDOPERDEUASCALÇASAAAAAAAAAH!

Depois de ler esta notícia:

"Para os vencimentos até 7410 euros ano, não há limites para as deduções que se podem fazer com certas despesas, onde se incluem as de educação, saúde e amortizações dos empréstimos à habitação, mas a partir desse valor são estabelecidos limites que vão de 800 euros para os rendimentos entre 7410 até 18.375 euros até aos 1100 euros para os rendimentos acima de 61.244 euros por ano.

A tabela das deduções presentes nesta versão preliminar prevê os seguintes limites no rendimento colectável:

Até 7410 euros: sem limite.

De mais de 7410 até 18.375: 9,447 por cento do rendimento colectável com o
limite de 800 euros.

De mais de 18.375 até 42.259: 4,354 por cento do rendimento colectável com o
limite de 900 euros.

De mais de 42.259 até 61.244: 2,130 por cento do rendimento colectável com o
limite de 1050 euros.

De mais de 61.244 até 66.045: 1,715 por cento do rendimento colectável com o
limite de 1100 euros.

De mais de 66045 até 153.300: 1,666 por cento do rendimento colectável com o
limite de 1100 euros.

Superior a 153.300: limite de 1100 euros."
In Público (Versão on-line)

Só me ocorre dizer: 
HÁ QUEM RECEBA MAIS DO QUE 153 MIL EUROS POR ANO? 153 MIL EUROS! 153 MIL EUROS! 12 MIL EUROS POR MÊS!? Que raio é que essas pessoas fazem da vida? Ok. E sem ser dinheiro?
CP

Transparência

Se há uma que me anda a chatear bastante é o andarem para aí a acusar este Governo de falta de transparência. Senhores, se há uma coisa que este Governo é, é ser transparente. Senão vejamos: o Primeiro-Ministro aldraba na licenciatura, tira-a ao Domingo e por telefone. Fê-lo às escondidas? Ok, tentou. Mas conseguiu? Não. Acabou por ser transparente. Tão transparente até que já quase ninguém fala nisso. Mais, o Governo farta-se de dar os famosos jobs aos famosos (e até a não famosos) boys - de vez em quando aos filhos dos boys, às filhas dos boys e, se bem me lembro, até às primas dos boys eles arranjam jobs; e como é que o fazem? Por decreto em Diário da República! Só não vê quem não quer. É completamente transparente! Tanta coisa com o Orçamento de Estado. Para quê senhores, para quê? Ah, porque o Estado rouba. Pois rouba. Mete-nos a mão ao bolso e nem o cotão deixa. Baixa-nos as calças e (CONTEÚDO APAGADO POR ORDEM DO EDITOR). E como é que o faz? Com transparência. Até avisam que o vão fazer. Ladrão mais bem educado é difícil de encontrar. E agora dão um apagão na base de dados "da transparência". E como é que o fazem? À vista de todos, descaradamente encobrindo, da forma mais transparente em toda a história da humanidade, milhões de euros gastos em festas e afins. Como podem ver, neste governo é tudo transparente! Principalmente a estupidez.

P.S. ANACOM, 200 000 euros numa festa? Ao menos convidem caramba!
CP

quinta-feira, setembro 30, 2010

Carta Aberta aos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Oeiras e Amadora

Excelentíssimos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Oeiras e Amadora (SMAS),

O meu nome é CP e gostaria de vos dar os parabéns. O porquê destes parabéns? Oh SMAS! Como se vocês não soubessem... mas pronto, farei o favor de vos elucidar.
Em primeiro lugar dou-vos os parabéns pela vossa política de contratação. Afinal de contas, não é todos os dias que se conseguem contratações fabulosas como o Homem Invisível, que tem feito um trabalho realmente formidável durante estes últimos meses, assim como indivíduos simplesmente espectaculares como o Capitão Óbvio, personagem que tive o prazer de conhecer esta manhã e que me informou que desde Março ninguém ia lá a casa ver o contador. Ainda tentei explicar que deveria haver um qualquer erro já que o colega e vosso empregado Homem Invisível nos tem visitado todos os meses sem falta mas creio não ter sido claro o suficiente para que o amigo Capitão Óbvio conseguisse perceber o que é que eu estava a dizer.

Dou-vos também os parabéns pois até hoje nunca me tinham tido em tão alta consideração. Digo isto após me ter apercebido que, pelos vistos, os SMAS acreditam piamente que eu, assim como os restantes moradores do meu prédio, temos o dom da premonição e assim, sem qualquer espécie de aviso prévio, intuímos a vinda de vossas excelências ao nosso lar. Confesso que pelos menos eu, infelizmente, não possuo tal dom e que por muito que goste de vos receber e anseie mensalmente pela vossa visita, necessidades básicas como "fome" ou "ter uma vida" impedem-me de permanecer diariamente fechado em casa à vossa espera, tendo até contraído, há já alguns anos, algo chamado "trabalho", uma actividade cujo significado vossas excelências  certamente desconhecerão. Em poucas palavras posso dizer-vos que, salvo raras excepções, é algo que impossibilita a eterna mas tão doce espera de funcionários (do SMAS ou de outras instituições) em nossas casas. Por este motivo, além dos parabéns, quero expressar também as minhas mais sinceras desculpas. Acreditem que eu nunca quis enveredar por este tortuoso caminho de "trabalho" mas quando vi a conta da água percebi que não teria outra solução.

Também não nos podemos esquecer do vosso extraordinário contributo na redução da despesa pública ao retirarem aos vossos funcionários qualquer elemento de identificação, sem dúvida um acto de enorme coragem de vossa parte e que certamente encherá de orgulho o Sr. Ministro das Finanças, ainda para mais nestes tempos de crise em que vivemos. Contudo, permitam-me o seguinte reparo: não seria melhor arranjarem uma solução alternativa à mera identificação por cheiro a suor e álcool? Eu sei, eu sei, as camisas que os vossos funcionários vestem com orgulho (e algumas nódoas) foram sem dúvida a alternativa por vós escolhida a uma qualquer identificação dita mais formal (mas dispendiosa compreendo) e até parece má vontade minha não deixar entrar em minha casa uma pessoa cuja identificação está explicitamente inscrita na sua camisa.  Se calhar até é má vontade minha mas a partir de hoje, pelo sim pelo não, passarei a vestir a minha T-shirt “Brigada do Toque Rectal” sempre que um dos vossos funcionários me bater à porta.

Cordialmente, o vosso cliente,
CP

quarta-feira, setembro 15, 2010

Palavras do avô (VII)

No meu tempo, com apenas 2 escudos e cinquenta centavos, ia ao mercado e saia de lá com 4 pães, manteiga, 1/2 litro de azeite, um refrigerante, um bolo de arroz e 3 pastilhas das médias. Hoje é outra conversa. Hoje é mesmo muito difícil conseguir isto... Há demasiadas câmaras escondidas.

sábado, setembro 04, 2010

Síntese das notícias do dia (II)

Condenados no âmbito do processo «Casa Pia» saem em liberdade a tempo das Comemorações da forma de governo que aprovou o mesmo Código Penal que os julgou.

ML

sexta-feira, agosto 13, 2010

À generalidade dos grunhos que trabalham nas caixas dos Mini-Preços e a todos os imbecís que lhes dão ordens (os gerentes)

Caso ainda não tenham percebido:

A velocidade com que passam as minhas compras pelo scanner, esborrachando-as completamente graças aos poderosos impactos que se dão quando os produtos chocam uns nos outros, é inversamente proporcional à velocidade com que eu as consigo arrumar e directamente proporcional à quantidade de irritação, mal-estar e vontade de vos estrangular que me dão a mim e às restantes pessoas que estão na fila à espera.

CP

P.S. Se alguma mãe ou pai deste país quiser ensinar aos seus filhos a lição de que "quanto mais depressa mais devagar" basta uma ida ao Mini-Preço.

quarta-feira, agosto 04, 2010

Aparte

Desde quando é que o Expresso é o equivalente em papel ao jornal da TVI?
CP

Urban n'Chic in Chiado

O cartão/flyer da Urban n'Chic é fantástico!
Além de apresentar o desconto de 20% nos serviços de cabeleireiro ainda nos mostra como esta é uma marca socialmente consciente já que, e passo a citar, Manicure+Pedicure oferta de sobrancelha ou buço.
Tenho a certeza que todo o pessoal da unidade de queimados irá certamente agradecer estas ofertas. Mas não podiam oferecer logo as duas sobrancelhas? É que fazer duas manicures e pedicures de uma assentada dá cabo das unhas! E porquê a oferta de um buço? Ofereçam logo um bigode que tem muito mais classe.
CP

segunda-feira, agosto 02, 2010

Palavras do avô (VI)

No meu tempo homens eram homens e mulheres eram mulheres. Os cães também eram cães e até os vampiros não eram pussys melodramáticos nem deficientes motores como agora mas isso são outros quinhentos.
O ponto é que era tudo mais simples, não havia cá nhónhices de se ser o melhor amiguinho de ninguém. Só na tropa e na prisão. E isso era por outros motivos bem mais nobres, como querer permanecer vivo. Hoje em dia, e isto é algo que estas cambadas de imberbes ainda não entenderam, ser o melhor amigo de uma rapariga é como ser uma vaca sagrada. Tudo são falinhas mansas e alguma admiração mas na verdade, e por muitas vezes que te jogues para o meio da estrada, ninguém te vai comer.

quinta-feira, julho 01, 2010

Análise actual

O bloqueio israelita à faixa de Gaza é apenas o resultado da circunstância histórica do povo hebreu. O Messias ainda não chegou. Não se perspectiva quando possa isso vir a acontecer. Israel está entediado.

ML

sexta-feira, junho 25, 2010

Ó Socas...

Então agora «glamour» pronuncia-se à inglesa...?

ML

segunda-feira, junho 21, 2010

Síntese das notícias do dia

Portugal vence a Coreia do Norte e mantém posição na tabela dos países com menos poder de compra na Europa.

ML

Mundial 2010

As costas do Ronaldo estão de parabéns.
CP

Lição de Economia (cortesia do Estado Português)

Contribuinte: José Saramago

Impostos retidos: quase zero.

Cinzas retidas: de 40 a 60Kg.

Observações: serei só eu a achar isto um péssimo negócio?
CP

sexta-feira, junho 18, 2010

Saramago (mas mais a sério)

Agora mais a sério, sentirei tanto a falta de Saramago como as suas obras sentiam falta de pontuação.
CP

Saramago & Pacheco Pereira

Segundo conseguimos apurar, Pacheco Pereira encontra-se francamente indignado com a morte de Saramago. Não propriamente pela perda que o país, o mundo e Lanzarote sofre com o falecimento do escritor mas porque a morte de Saramago apresenta-se, aos olhos de Pacheco Pereira, como uma clara (se bem que ao mesmo tempo obscura) manobra do governo para desviar a atenção dos media e do país às suas declarações, feitas hoje, de que o Primeiro-Ministro terá de facto mentido relativamente à tentativa de compra da TVI pela PT.
Pacheco Pereira terá sido encontrado a chorar copiosamente enquanto esmurrava o corpo do falecido escritor, balbuciando freneticamente que este acontecimento não era possível e que só pode ser mentira que Saramago tenha falecido justamente hoje.

"Porquê hoje?! Porquê hoje?!" - foram as declarações de Pacheco Pereira antes de ser sedado e levado pela Polícia.

Os nossos pêsames à família de Saramago e ao cérebro de Pacheco Pereira.
CP

Mundial 2010

Para descansar a população Portuguesa que ainda não sucumbiu ao som das vuvuzelas e que ainda se interessa minimamente em acompanhar a prestação da equipa Portuguesa, o Carapaus com Chantilly prevê que se a equipa Norte Coreana continuar a "perder" jogadores a este ritmo, o próximo jogo está ganho. Caso contrário, provavelmente e tendo em conta a prestação Coreana frente ao Brasil, estaremos enterrados na m#%$.
CP

quinta-feira, junho 10, 2010

A propósito de Edward Maya e do seu Stereo Love

Se há uma coisa que faz muito sentido é uma mulher de t-shirt, calção de bikini e galochas na praia. Quando eu tiver dinheiro para fazer o meu próprio videoclip vou querer andar de havaianas no Ártico.

ML

quarta-feira, junho 09, 2010

Paradoxo

Após séculos e séculos de gerações a transmitirem conhecimento adquirido umas às outras, não posso deixar de me espantar como, em pleno século XXI, não seja ainda possível compreender as mulheres.

ML

terça-feira, maio 25, 2010

O Correio da Manhã consegue sempre surpreender

Mesmo que seja pela falta de um editor que faça o seu trabalho. Vejamos um dos seus headlines de hoje:

"Gang violento apanhado após assalto a Oeiras"

Portanto, segundo parece, o tal gang assaltou Oeiras. Espero que Oeiras já tenha recuperado do susto. Tenho de lhe perguntar um dia destes. Pena é ela ser tão caladinha.
CP

sexta-feira, maio 21, 2010

Mensagem exclusiva aos nossos mais assíduos comentadores.

まず、すべての、あなたに感謝します。あなたはあなたなしで私たちが生きている塩、この小さなブログ彼はあるの偉大さの半分を持っていないとされます。あなたのようなコメントは、ポーカーサイト、雛、翻訳もよく私たちは、我々は世界で特別な場所、あなたの心の中を感じていることを理解することはできません他の事についてのコメント。おかげで、帰国してください。

quarta-feira, maio 19, 2010

U jovem k lé (I)

José Luís Peixoto - "Morrestesme"

"Regrecei oje a esta terra agora croel. A nossa terra, pái. E tudo como se
continuasses. Diamte de mim, as ruas varridas, o sole enegressido de lus a limpar as
casas, a brankear a cal; e o tempo entrestessido, o tempo parado, o tempo
entristessido e muito mais triste do que kuando os teus olhos, claros de névua e
marezia distante fresca, engoliam esta luz agora croel(...)"

Kumentários: É acim, ñ se trata de ñ gustar. O títalo ñ é mau mas o testo é muito estensso e ñ à paciênssia para atorar estas nhónhices!

U jovem k lé

terça-feira, maio 11, 2010

Oh Papa... Papa...

Daqui avista-se uma santa confusão graças ao santo Papa.
CP

segunda-feira, maio 03, 2010

Deixe a sua mensagem depois do sinal

Oh Zé Diogo Quintela, não tens nada melhor do que andar a googlar o teu nome?
CP

domingo, maio 02, 2010

A PIADA (Redux)

- Então pá, como é que andas?
- Com as pernas.

(Pausa para delírio colectivo.)
CP

sábado, maio 01, 2010

A piada

- Então pá, como é que vais andando?
- Com as pernas!

(pausa para risos descontrolados, histeria e frenéticos aplausos)
CP

segunda-feira, abril 26, 2010

SCUT - OVER! Alternativas

Depois de ter efectuado a penosa viagem de automóvel desde o interior transmontano até à capital, posso afirmar, com algum conhecimento de causa, que este país precisa, em relação às estradas nacionais, itinerários principais, SCUTs e que mais, de uma alternativa às alternativas. Uma ou mais. Mas uma já não era mau.
CP

quarta-feira, abril 14, 2010

Diário de Alfredo (VII)

Sabem, acho que durante estes anos todos ela nunca me compreendeu.
Nunca mais mando vir uma noiva de Taiwan. Nunca mais!

quarta-feira, abril 07, 2010

Dietas Milagrosas

Fantástico!
Perca 15 dias em apenas duas semanas com a fantabulástica Dieta Milagrosa Fanã!
Eu quero saber mais. E você?
CP

quinta-feira, abril 01, 2010

Amizades

Como é que eu sei que as amizades perduram mesmo após anos de falta de contacto? Pela forma contínua e perseverante como essas pessoas, ainda hoje, me enviam correios divertidos para causar boa disposição. É uma coisa que honro e valorizo muito, não incluindo o correio dessa pessoa no lixo electrónico.

ML

terça-feira, março 30, 2010

Money Money Money

Não que tenha particular curiosidade em saber dos seus dotes vocais mas um dia gostava de poder mandar cantar um ceguinho.
CP

sexta-feira, março 26, 2010

Reflexões (IV)

A vida é um lugar comum?
CP

Palavras do avô (V)

Um dia estava com gangrena mas no outro dia pedi com espargos e soube-me muito melhor.

quarta-feira, março 24, 2010

Resoluções

Ia começar a fazer dieta mas preferi ser feliz.
CP

sexta-feira, março 19, 2010

Opiniões

Primeiro deixem-me só ler aqui um excerto desta maravilhosa obra do escritor Mikhail Bulgakov e que até vem muito a propósito deste tema que tanto se anda a discutir.





















































































































CP

Palavras do avô (IV)

Um dia um amigo meu fugiu de casa. Ou assim parecia até o termos descoberto 2 meses depois todo espremido, dentro do cano de ventilação do ar condicionado. A partir desse dia só utilizamos ventoinhas. São mais seguras.

Angelina Jolie got nothin'. This is how we do it.

Estava a ficar farto de ter moscas à minha volta portanto resolvi adoptar um etíope.
CP

terça-feira, março 16, 2010

Questio

Será que se eu envolver este blog numa escandaleira pública qualquer, que envolva Sócrates e a comunicação social, também estarei habilitado a receber um bónus de 150 000 euros?

quinta-feira, março 11, 2010

Observações (II)

Já não é a primeira vez que vejo uma pessoa a explicar algo de teor jurídico a um idoso e a utilizar, com alguma frequência, o típico gesto de aspas. Será que é apropriado explicar algo a um idoso recorrendo a analogias que, com algum grau de probabilidade, serão dúbias? Não seria mais simples explicar as coisas de um modo mais, ora bem, simples?
É que, imagino, se a moda pega não será raro vermos um idoso completamente em pânico a correr desalmadamente pela rua e a esbracejar se, quando for ao médico já que não será particularmente raro que o médico o cumprimente da seguinte forma: "Senhor Afonso, espere só um segundo que já lhe vamos "tratar da saúde"!".
CP

segunda-feira, março 08, 2010

Observações (I)

Segundo pude analisar nestes últimos 12 meses, os requisitos para se ser polícia de trânsito são:

  • ter dois olhos para verificar qual é a cor dos semáforos (se bem que creio que apenas um ia dar ao mesmo);
  • possuir dois (ou mais) braços de modo a poder efectuar gestos algo desconexos na direcção dos automobilistas que não se podiam estar mais nas tintas para o louco com o colete reflector amarelo e chapéu que está literalmente plantado no meio da estrada a efectuar algo que só pode ser descrito como um misto entre dança contemporânea e um ataque de epilepsia.
CP

segunda-feira, março 01, 2010

Ser vítima de violência doméstica é...

...ter de acordar três horas antes do devido porque a mulher não sabe despachar-se em silêncio antes de sair.

ML

quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Unfortunate

Estar a virar a esquina, sentir necessidade de aliviar o excesso de comida no goto e mandar um arroto quando uma bela dama está a passar.

Sim, foi muito bom.

ML

Psssst!

(Só entre nós que ninguém nos ouve [ou lê], acho que nos conseguimos livrar de todos os visitantes deste blog.)

segunda-feira, fevereiro 22, 2010

Post pseudo-intelectualóide ou mete-nojo.

Eu jogo no Euromilhões mas é mais pela serotonina que outra coisa.
CP

segunda-feira, fevereiro 08, 2010

Where is my life?

John: Jesus! Now i know that my life's in the crapper.
Diane: Why?
John: Got a call. It was Bono. He wants to be my spokesman.

CP

sexta-feira, fevereiro 05, 2010

Reflexões (III)

a) A frase "Olha que estás a dar um passo maior que as pernas." será uma frase indecente de se dizer a uma pessoa presa a uma cadeira de rodas ou é apenas uma constatação lógica?

b) Na verdade nunca ninguém fica preso a uma cadeira de rodas. Pode sempre cair.
CP

Esquizofrenias avulsas - Intenção de voto

  • A criança que há em mim, imberbe e que não gosta de tomar banho, acha piada ao Bloco de Esquerda.
  • O Revolucionário sonhador, já com alguma idade e frustrado com a vida que não foi nada do que ele imaginava que seria, levanta o punho em camaradagem com o PCP.
  • O betinho em mim alinha com o CDS. Mais por medo dos indivíduos da Musgueira do que por achar Paulo Portas o máximo.
  • O sacana em mim vota PS e dá como justificação a ilusão de que está a votar à esquerda.
  • O porco capitalista em mim até aprecia algumas linhas ideológicas do PSD. Mesmo sabendo que a minha carteira jamais estará recheada como a dos verdadeiros porcos capitalistas. Que, por norma, são do PSD.

Mas a pessoa em mim está cada vez mais do lado da minha avó que diz simplesmente: "Os políticos são como os macacos. Coçam todos para dentro!". Darwin estaria orgulhoso.
CP

terça-feira, fevereiro 02, 2010

Carta a Mário Crespo (publicada aqui depois de me ter sido negada a publicação de um artigo onde fazia revelações escandalosas)

Caro Mário,
penso que da última vez que falámos ainda não estavas demente. Nesses tempos em que eras uma pessoa com alguma lucidez escrevias artigos nos quais manifestavas a tua opinião sobre os mais deversos assuntos. Eras ao mesmo tempo pai, amigo de tantos e uma pessoa vulgar. Por assim dizer, também soltavas uns gases. E digo-te Mário, fazias-me rir. Mais com as crónicas e com os artigos do que com os gazes mas fazias-me rir. Custa-me ver-te entrar nessa espiral de demência e incapacidade. Custa-me ver-te no mesmo patamar do Palhaço como bem o apelidaste naquela tua outra crónica, Palhaço ou o engenheiro como preferires. Vejo-te rebaixado ao patamar comezinho da vitimização e da paranóia. O outro, o Palhaço, também dizia que todos o queriam tramar, que eram tudo esquemas e que, coitadinho dele, o mundo estava todo contra o Palhaço. Mas chega de falar no Palhaço, porque o que o Palhaço quer é que lhe dêem atenção. E já não há pachorra para aturar o Palhaço.

Também eu queria publicar um artigo de opinião onde iria desmontar toda esta cabala existente na sociedade actual. Era um artigo que me iria colocar na boca do povo e onde daria a conhecer ao público o que esses ministros pensam de mim. Também iria revelar ao mundo que a cura do cancro e da sida se encontram na sala Jorge Bascus da moradia Flengius na Quinta dos Eucaliptos em Sines. Sabes bem onde é amigo. Foi lá que encontrámos o corpo daquela prostituta. Ia revelar ao mundo que também eu, como tu e como o Palhaço, sou uma vítima de todo um processo, de um (ou mais) governos, sabe-se lá de que países. Ia dar a conhecer que me querem eliminar ainda mais do que te querem eliminar a ti. Poderás vir a perder o emprego. Mas de mim querem sangue. Quem me dera ter um emprego para perder como tu.

Escrevi o artigo e como sempre enviei-o por e-mail para uma determinada série de moradas electrónicas dos mais diversos jornais. Recebi um telefonema em pânico de um editor de um jornal muito conhecido. Quase que me chamou louco. Ficou-se por "estúpido" e "ignorante". Perguntou-me se tinha provas. Eu disse que era duro como rocha, sólido como diamante e uma autêntica bomba. Ele pediu-me para parar de falar no meu pénis. Atendi ao seu pedido e disse-lhe que confiava plenamente em quem me informou. Mas informei-o que não poderia revelar o nome dessa pessoa. Ele voltou a insultar-me e recusou-se a publicar uma única palavra. Também me instaurou um processo que me impede de ir visitar o filho dele à escola. Mas a ti amigo, a ti posso-te contar tudo. Sabes como é que eu sei essas coisas? Como é que sei que me querem eliminar? Que falam de mim como "um alvo a abater"? Um "problema maior que a disfunção eréctil"? Sei disso porque quando estava às 5 e meia da manhã a comer um cachorro numa roulotte na Musgueira, ouvi o chefe dos cachorros dizer que um amigo lhe contou que ouviu dizer de um sobrinho que um conhecido do primo que abriu, sem querer, a carta de um vizinho que já não morava no 3º esquerdo e ficou a saber que o tio de um fulano lá para os lados de Alenquer fazia saber que o companheiro de quarto da mulher achava que eu já me estava a tornar um estorvo. E que ressonava demasiado alto e por isso deveria ser eliminado.

Mário, sei que me conheces porque falo contigo todas as noites. Em pensamento é certo mas sei como tu sabes que eu sei que tudo isto é real. E vê bem que nenhum jornal quis publicar o meu artigo. E ainda têm o descaramento de dizer que somos livres...

Um grande abraço,
CP

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Portugalidade (II)

"Bife à Portuguesa", na República da Cerveja, Restauradores:

«Seguindo a tradição mediterrânica, temperado com louro, alho e pickles...»


E onde, neste mundo de Deus, é que o pickle é uma coisa tipicamente portuguesa para constar num prato com este nome!?

ML

terça-feira, janeiro 26, 2010

Portugal/Angola

Andam todos malucos com a notícia que Portugal vai emprestar dinheiro a Angola (http://economico.sapo.pt/noticias/portugal-empresta-500-milhoes-de-euros-a-angola_12574.html). Sinceramente não percebo qual é o problema. Afinal de contas nem sequer se trata bem de emprestar. É mais um devolver.
CP

segunda-feira, janeiro 25, 2010

O saber não ocupa lugar (V)

Fazer a barba às escuras ou durante um eclipse pode provocar esterilidade.
CP

quinta-feira, janeiro 21, 2010

Fun fact about leaps of faith

...you're still bound to fall down eventually.

Expressões no Haiti

A réplica sentida no Haiti leva-me a pensar que a expressão "Bater no ceguinho" tem um limite que, neste caso, foi totalmente ultrapassado, facto que nos obriga a cunhar uma nova expressão que melhor se adequa a esta espécie de acontecimento.
Assim sendo, penso que "Pontapear a bengala do ceguinho, esventrar o cão do ceguinho e obrigá-lo a comer os restos, atar o ceguinho a um poste e sodomizá-lo enquanto se lê a obra "Guerra e paz" ao ouvido do ceguinho sempre em voz de falsete, cortar a língua do ceguinho com folhas A4, largar o ceguinho na 2ª Circular e deixá-lo andar livremente enquanto se grita palavras de apoio como "Não te esqueças de olhar para os dois lados antes de atravessares a estrada ceguinho!" e finalmente agarrar no ceguinho e partir-lhe as pernas, aproveitando o momento para urinar para dentro das suas cavidades oculares." será uma expressão mais apropriada.

Também me parece que a contínua utilização da palavra "reconstruir" não abona muito a favor dos jornalistas do nosso país (e do mundo). Será possível que nenhum jornalista tenha visto como era o Haiti antes do terramoto?
CP

terça-feira, janeiro 19, 2010

quarta-feira, janeiro 13, 2010

Dizeres (II)

O bom filho à casa torna.
O toxicodependente também.
CP

sábado, janeiro 09, 2010

Palavras do avô (III)

A maior parte dos meus amigos estão mortos.
Malditos preguiçosos!

quarta-feira, janeiro 06, 2010

Portugalidade

"Queijo flamengo. Tipicamente português".

Serei eu o único a notar a contradição aqui?

ML

terça-feira, janeiro 05, 2010

Frases para a História (II)

Confiem em mim. Eu sei um atalho e num instante estamos lá!
Moisés