sexta-feira, setembro 21, 2007

Realidade

Se Berkley estiver correcto e não houver objectos dos sentidos fora da mente, pagar um euro por um café é realmente um roubo do caraças.
CP

PS (das 15:00h): E se "as coisas corpóres são meras ideias e a crença na substância material implica a negação da realidade das coisas sensíveis", então porque é que continuo a sentir as calças apertadas mesmo depois de me convencer durante 3 horas que, na realidade, não há diferença entre umas calças 42 e umas calças 40? E já agora, porque é que por mais que tente, o meu saldo insiste em manifestar uma consistência numérica bem inferior à que eu idealizo constantemente?
(Update 22/09/07):E porque é que continua a ser tão difícil encontrar um lugar para estacionar?

5 comentários:

Arya Bodhisattva disse...

siiim! e depois cobiçar objectos materiais perde todo o sentido, hei?
gosto desta teoria. bastante.
(^^)d

Rosa disse...

indeed. convenhamos, são cerca de 200 paus, caraças! Já lá vai o tempo em que o meu cafézito custava uns modestos 80 escudos...

Carapaus com Chantilly disse...

Andamos com saudades do curso, é?
Anda cá, jovenzinho, que tenho um texto desses maçudos para leres no fim de semana :P

ML

Lápis-de-Cor disse...

O meu saldo apresenta sempre uma consistência numérica muito inferior ao que desejava e pensava, mas no entanto sempre que vejo que levou uma dentada, fico sempre surpreendida. "Ups, pensava que estava mais abonada". Vá-se lá saber porquê...lol

me disse...

realidade:
" se quando vestires as calças no provador não te couber um cartão multibanco no bolso de trás então esse número de calças não é o teu!"

:)