quinta-feira, maio 31, 2007

Libertação de gás pimenta

Hoje, pelas dez horas da manhã, foi libertado na estação de metro do Saldanha, em Lisboa, uma substância vulgarmente conhecida por «gás pimenta», o que obrigou à assistência de 11 indivíduos. Fontes próximas das equipas de investigação declararam haver indícios de o acto ter sido perpetrado por elementos das comunidades africanas residentes no país como forma de retaliação à forte discriminação racial e brutalidade policial de que são alvo. Em conluio com estes, teriam agido células de um radicalismo islâmico em operação no país juntamente com grupos independentistas que...

As nossas desculpas. As justificações que acabaram de ler não dizem respeito ao caso do Saldanha, mas a qualquer outro país do mundo onde as tensões raciais e religiosas e movimentos independentista atingem realmente níveis perturbadores de conflito aberto. Sendo assim, e para retomar o fio à meada, fontes próximas das equipas de investigação admitem que o caso foi perpetrado por indivíduos com níveis muito baixos de inteligência social padecendo da patologia conhecida por magnus tempus libris. Como se sabe, esta doença, também designada de micosis coçandi, resulta da frustração da pessoa pela vida patética que leva, motivando a realização de actos covardes contra quem nada tem a ver com o assunto. O tratamento desta patologia é muito moroso, porquanto implica a inculcação de valores morais e sociais a pessoas incapazes de ver para além das palas com que cresceu ou se habitou a usar e que, claramente, pensa que vive nos Estados Unidos ou no Iraque. É sobretudo, um tratamento doloroso, na medida em que obriga à utilização de faculdades há muito adormecidas, nomeadamente as de pensar e interpretar. No Carapaus com Chantilly queremos contribuir para a rápida identificação dos responsáveis, pelo que divulgamos um retrato robô de dois dos suspeitos fornecido pela polícia:



A captura afigura-se difícil, pois com a quantidade de gente com esta imagem que anda por aí...

ML

8 comentários:

Anónimo disse...

De facto o número de indivíduos que padecem desse síndrome de magnus tempus libris chega a atingir proporções assustadoras... cuidado! sintomas preocupantes: estar mais de 1 mês sem pegar num livro, fazer zapping pelos 40 canais da tv cabo e achar que vale a pena fazer novamente (não se vá dar o caso de...), assassinar uma música qq (qq q seja!) adaptando-a a toque de telemóvel, não saber quem são os beatles, perder a noção de que lisboa é uma cidade linda acima do nível do metro,... etc.
Sintomas tipo já não há nada a fazer: pensar que a margem sul é um deserto e lançar gás pimenta no metro só pela curte.
Beware my friends!

Le Rachelet disse...

Parece-me que vi o segundo indíviduo ali na estação de Massamá. Para onde ligo a saber da recompensa?

ML disse...

Recompensa?! Então e os valores cívicos? O «eu ajudo em prol de um conceito superior de civilidade»? O que aconteceu a isso tudo?

Betty Coltrane disse...

Hum... Conheço demasiada gente assim! A lista de suspeito cresce de forma deveras preocupante! E o que é que está o "Beast" aí a fazer?! O pobre inadaptado romântico, obrigado a viver no subsolo, por quem eu estava apaixonada quando era criança? Hum, hum? Bolas, até chorei quando ela foi baleada... E não estava grávida dele, ou que era?! (agora que penso nisso... urgh!)

ML disse...

Ou era este «Beast» ou o «Beast» da Marvel Comics, que menos gente reconhece e por quem, pessoalmente, tenho especial apreço enquanto personagem de BD :) quanto a esta série... os rapazes viam Guilherme Tell... A Bela e o Monstro era para meninas :D

Le Rachelet disse...

Hihi, a confusão que foi quando vi a Bela a dar-lhe forte e feio no Exterminador Implacável II... um dos melhores filmes da minha pré-puberdade, junto com a saga Indiana Jones e Regresso ao Futuro.

ML disse...

A este cenário só faltam o Rambo e o Rocky! Né, CP?

vinte e dois disse...

O de esquerda não é o... cala-te boca, se não também levas um processo em cima!! ;D