sexta-feira, fevereiro 10, 2006

O autor deste post deseja manter-se anónimo por razões de segurança.

Será que a representação de alguém a representar o profeta também é ofensivo?

fonte: http://www.filibustercartoons.com/

7 comentários:

Carapaus com Chantilly disse...

Brilhante! :P
Agora tens é de ter cuidado pois a tua vida está oficialmente em perigo! Hum...espera lá a tua não! A NOSSA!!! AHHHHHH!
CP

Anónimo disse...

É pá, sinceramente... mas não dá para perceber que estão a fazer um serviço péssimo à humanidade ao caracterizarem uma religião com uma coisa que não é verdadeira?

O islamismo não defende a violência, não são todos os muçulmanos que a defendem. É de extremo mau gosto este post, deixem-me que vos diga

Anónimo disse...

Sim, deixamos que tu nos digas. É a chamada liberdade de expressão.

Anónimo disse...

Pois, mas a liberdade de expressão não é algo que se possa invocar por tudo e mais alguma coisa. Não justifica nem devia permitir ofensas desnecessárias e generalizações errónias.

É por estas e por outras (e não estou obviamente a falar apenas do vosso post, que pela população que atinge nem faz grande estrago) que toda a gente acha que os muçulmanos são todos uns cabrões suicidas.

É que o discurso dos media é muito forte e conceptualiza realidades. Por isso é que acho que se deve ter sempre muito cuidado com a imagem que se veicula. A mensagem que o cartton do Maomé com o turbante-bomba faz passar é que o islamismo é necessariamente composto por conceitos de violência e por crentes suicidas. E isso não está nem perto de ser verdade.

Que ponham os tipos do Hamas com um cinto de explosivos, ok, está certo, mas o Maomé... Não tem nada a ver.

Portanto, aquilo que eu digo é: a liberdade de expressão não pode ser razão para sermos irresponsáveis e incendiários.

Anónimo disse...

Apenas duas das caricaturas de Maomé eram referentes a bombas, a fúria que se vê é exclusivamente devido à sua caricaturização em geral, não devido à caricaturização relacinado-o com bombas. E como é que parte dos muçulmanos respode? Com violência. Quem está a prejudicar mais os muçulmanos são os próprios muçulmanos (as facções violentas). Se reparares na imagem do post o boneco está a desenhar um maomé completamente banal, e a resposta do muçulmano é a que se vê. É o objectivo do post. Basicamente é o que está a acontecer.

Este blog na china já teria sido apagado, por conter a palavra "liberdade"

Anónimo disse...

Claro, claro, caro amigo. Nem eu nunca disse que a reacção de algumas das facções muçulmanas mais radicais era correcta. Quanto a isso, acho que perderam uma excelente hipótese de mostrar a todos os seus críticos que estão errados. Nisto estamos plenamente de acordo.

Isso da caricaturização em geral vai ainda mais longe: a religião islâmica (e embora isto não esteja taxativamente explicitado no Corão) postula que Maomé não pode sequer ser representado. Por isso é que a cara dele aparece sempre ocultada. Mas isso são outros quinhentos e não consegui ainda formar uma opinião sólida sobre o assunto. Acho que não era nada de mais respeitar um dos princípio orientadores de uma religião, ou seja, não mostrar completamente o Maomé, mas tb é verdade que não consigo defender completamente este argumento, portanto... Para além de tudo isto, há que perceber que estamos a falar de um jornal assumidamente de direita, pelo que se devia dar algum desconto ao assunto.

Quando falo dos media, não falo apenas dos cartoons, mas essencialmente da forma maniqueísta com que tem sido tratado este assunto, à semelhança de muitos outros. Permitimo-nos mostrar apenas um lado da questão e dar às pessoas imagens que não são verdadeiras. Por exemplo, a maior parte das televisões mostrou as reacções do Islão mais radical, ignorando quase por completo a resposta dos muçulmanos mais moderados, como por exemplo os da Turquia.

As pessoas mais atentas perceberão que a facção radical é apenas isso, uma facção. Mas a generalidade da população não tem o discernimento suficiente para fugir à generalização. Basicamente, a ideia que passa é: islamismo = radicais. Acima de tudo, isto é que eu acho realmente perigoso. Mais do que cartoons e picardias inter-religiosas.

E, pronto, era isto que eu queria dizer.

A China causa-me, em muitos aspectos, repulsa. Portanto, escuso-me a mais considerações sobre o assunto.

E, já agora que aqui estamos, qual é a vossa opinião em relação a estas questões que levantei em relação à responsabilidade dos media na criação de imagens? Isto parece-vos descabido? Acham que os media têm sempre desempenhado um papel responsável ao reportar assuntos mais sensíveis?

PS- Fora isto, gosto muito deste blog. :)

mcx disse...

Adorei conhecer-vos..
Vou estar atenta. Continuem....